Counters

Sábado, 16 de Dezembro de 2006

TNA Turning Point 2006


Um bom PPV, sem dúvida melhor que o "Genesis", que tinha tido wrestling de muita qualidade, mas que quando acabou deixou boa parte dos fãs desapontados e frustrados. Isto porque o booking do evento foi caótico e porque o auto-proclamado "Combate de Sonho da Década", embora bom, foi muito curto e basicamente uma desilusão, tendo em conta as elevadas expectativas. No "Turning Point", embora ainda se tenham mantido algumas decisões discutíveis, o booking foi melhor e principalmente todo o evento mais sólido, com finalmente a TNA a perceber que é melhor ter menos combates mas com mais tempo. A ajudar, claro, esteve um Joe vs Angle II que foi superior ao primeiro e que desta feita não defraudou, com os dois wrestlers a proporcionarem um óptimo espectáculo durante mais de 20 minutos.

Combate de eliminação da X Division - Paparazzi Championship Series Alex Shelley vs. Senshi vs. Sonjay Dutt vs. Jay Lethal vs. Austin Starr

Kevin Nash está no comentário e ficamos a saber que este será o primeiro de uma série de combates em que os envolvidos ganharam pontos, até que se saiba qual é o melhor wrestler da X Division. Neste combate, serão dados 5 pontos ao vencedor, 4 ao último eliminado e aí por diante, até ao primeiro eliminado, que mesmo assim ganha 1 ponto. Este foi um bom opener, com o atleticismo e a acção habituais da divisão, para além de momentos bastante cómicos, tanto com Nash a comentar e na interacção com Mike Tenay e Don West, como na dinâmica entre Shelley e Starr, que continuam assim a sua competição para serem o favorito de Nash. O primeiro eliminado foi Alex Shelley, quando Dutt o colocou no Camel Clutch e Starr, sem que o árbitro visse, impediu que Shelley chegasse às cordas, puxando-o para o centro do ringue, onde se viu obrigado a desistir. É uma pena que Shelley um wrestler tão talentoso, carismático e com tanto potencial continue a fazer job atrás de job, mas pelo menos isto faz parte de uma storyline que está a ser interessante e que espero que no final o projecte na companhia e na X Division, juntamente com Austin Starr. Seguiu-se Jay Lethal, ao ser eliminado após ser atingido com um dos brutais charging dropkicks de Senshi. Com apenas três em ringue, a acção passa a centrar-se em Sonjay Dutt e Starr, sendo que este último leva a melhor após aplicar o Brainbuster em Dutt, seguido de um espectacular 450 Splash. Os dois últimos são então Starr e Senshi. Após uma boa sequência entre os dois, Starr consegue aplicar novamente o Brainbuster e prepara-se para mais um 450 Splash, só que desta feita surge Alex Shelley que começa a reclamar com Starr, fazendo-o perder tempo. Assim, quando faz o golpe da top rope, Senshi consegue desviar-se e com um small package consegue fazer o pin.
Vencedor: Senshi

Nash mostra-se incrédulo com mais um desentendimento entre Shelley e Starr, dizendo que as coisas não podem continuar assim.

Nos bastidores, Jeremy Borash entrevista Eric Young, que está nervoso por causa do concurso de bikini em que vai participar. Borash incentiva-oe, dizendo que ele tem algo que Miss Brooks não tem, "cojones".

Concurso de bikini Miss Brooks vs. Eric Young

Este segmento acabou por não ser tão mau quanto esperava. Brooks usou um bikini não muito revelador (talvez para não correr o risco que os fãs reagissem muito e Eric Young perdesse), enquanto Young tinha vários estratagemas preparados. Primeiro, ao despir o robe, viu-se que tinha vestido uma camisa com o desenho do corpo de uma mulher de bikini. Robert Roode protestou e Young viu-se obrigado a tirar a t-shirt, revelando apenas boxers do SpongeBob. Roode voltou a reclamar e o árbitro Slick Johnson desqualificou Young, mas este pediu mais uma chance. Finalmente, acabou por ficar apenas com a parte de baixo de um bikini e o público riu-se à grande, dando-lhe depois a vitória sobre Brooks ao ovacioná-lo muito mais que a ela.
Vencedor: Eric Young

Roode ficou furioso e atacou Young, só que este fugiu. Roode deu então uma descompostura a Brooks, dizendo que a única forma de o compensar é garantir, por qualquer meio possível, que Young se junte a eles, pois assim por ligação o público também passará a gostar dele. Como disse, o segmento foi bem menos inofensivo do que esperava, e até teve piada nalguns momentos, mas não deixa de ser uma ideia parva e algo que tirou tempo precioso que poderia ter sido utilizado nos combates.

Combate de singulares pelo título da X Division Christopher Daniels (c) vs. Chris Sabin com Jerry Lynn como Special Referee
Mais um bom combate entre os dois. Sabin melhorou imenso enquanto heel, tendo vindo a mostrar muito mais personalidade. Foi um combate mais pausado do que o habitual na X Division, mas também por isso pode ser mais sólido na psicologia, com um bom trabalho de Sabin a trabalhar no pescoço de Daniels para preparar o Cradle Shock. O grande spot do combate veio quando Sabin estava estendido fora do ringue e Daniels fez um elbow drop da top rope para cima dele, lá fora no cimento. O impacto entre os dois foi bastante doloroso e parece-me ter sido algo desnecessário, pois houve um risco grande de lesão, principalmente para Daniels, que bateu com a anca no chão. Pelo menos Daniels fez depois um bom trabalho no selling a esse golpe. A vitória chegou com um BME (Best Moonsault Ever) de Daniels sobre Sabin.
Vencedor: Christopher Daniels

É bom ver que não houve mais uma mudança de título e que o combate foi totalmente limpo, sem qualquer interferência ou influência de Lynn. Só que no final, Lynn pede o microfone, tentando mais uma vez convencer Sabin a aceitar a derrota e honrar a X Division, apertando a mão de Daniels. Só que Daniels diz imediatamente não se interessar pelo respeito de Sabin, pois está à vista de todos que é melhor que ele, tendo-o derrotado duas vezes. Lynn mostra-se chocado e tenta argumentar com Daniels, que se mostra inamovível e diz a Lynn para não se meter nos seus assuntos. Lynn fica então fora de si e dá uma bofetada em Daniels, sendo que os dois envolvem-se então num brawl que tem de ser parado pelos árbitros que surgem imediatamente no ringue. Desenvolvimento inesperado, mas que faz sentido, tendo em conta que Lynn está tão determinado em fazer honrar o código da X Division e Daniels, tamém um veterano e suposto exemplo, mostrou não se preocupar com isso. Sabin também aparece como um manipulador, que conseguiu colocar Daniels e Lynn um contra o outro.

Temos em seguida um angle entre jogadores de baseball. Primeiro, entre Jim Cornette, que apresenta AJ Pierzynski dos anteriores campeões Chicago White Sox, que esteve no Turning Point do ano passado e vem juntamente com Dale Torborg (um dos preparadores físicos dos White Sox e antigo wrestler na WCW), envergando a réplica do cinto da X Division que lhe foi dado pela TNA. Depois é introduzido David Eckstein dos actuais campeões St. Louis Cardinals e MVP da final da World Series (o campeonato de baseball) que vem acompanhado pelo irmão e traz o troféu de MVP. Basicamente, Eckstein faz uma promo a dizer que é fã da TNA e aproveita para publicitar o seu livro, mas Pierzynski mostra-se irritado, dizendo que ele não tem nada que estar na TNA, que é o lugar dele que já lá esteve antes e gozando com o seu livro, que é rasgado por Torborg. Pierzynski mostrou bastante carisma e personalidade enquanto heel. Há então um brawl entre todos, sendo que surge Lance Hoyt para ajudar Eckstein, expulsando Pierzynski e Torborg do ringue. Foi um angle super cliché e algo aborrecido, com os fãs a gritarem até "we want wresting". Só que a verdade é que segmentos deste tipo servem apenas para divulgar o nome da TNA ao grande público através dos media (algo que a companhia bem precisa) e cumpriu perfeitamente o seu propósito, visto no dia seguinte terem surgido em vários jornais e canais de televisão notícias sobre este confronto entre dois jogadores de topo da MLB (a liga americana de baseball).

Jeremy Borash entrevista Rhino nos bastidores, com este a dizer que já que Styles não quer ouvir, terá de ser através da luta que lhe restituirá algum bom senso. Styles aparece subitamente a atacar Rhino, interrompendo a entrevista e começando logo ali o combate.

Combate de singulares Rhino vs. AJ Styles

Surpreendentemente bom, um brawl intenso e o segundo melhor combate da noite. Não que tenha sido de alta qualidade, mas principalmente porque foi muito divertido de se ver. Uma boa resposta de Rhino a quem diz que não é capa de grande coisa, embora não haja a mínima dúvida que fo Styles quem carregou o combate. Combate bastante atípico de Styles, que não fez uso dos seus spots habituais, trabalhando num estilo heel, provocando os fãs e numa altura subindo o turnbuckle e preparando-se para uma manobra aérea, acabando por mudar ideias, não dando aos fãs o que estes querem ver. Como li algures e achei uma designação super adequada, se o Angle ou o Benoit são "wrestling machines", o Styles é um "bump machine". É realmente impressionante o que faz e neste combate foi de cabeça contra paredes e latas do lixo, levou um belly-to-belly suplex no chão e um back bodydrop para fora do ringue, entre outras coisas. Por mais admirável e espectacular que seja, não deixo de muitas vezes pensar em que estado terrível estará Styles dentro de apenas 10 anos. Este combate teve uma conclusão curiosa: Styles leva um back bodydrop de Rhino para fora do ringue e ao cair, fica agarrado ao joelho. O árbitro manda então entrar os paramédicos para o assistirem, só que, sem que Rhino o esperasse, Styles entra a correr para dentro do ringue e faz um rollup, ganhando assim o combate.
Vencedor: AJ Styles

Cheap finish, sem dúvida, mas foi algo necessário para ajudar Styles a estabelecer-se como heel. No final, este ri-se e celebra, gozando por ter enganado toda a gente, enquanto Rhino, furioso, persegue-o até aos bastidores. Confesso que gosto de ver este Style heel, com muitíssma mais personalidade, um dos pontos que sempre lhe era criticado.

Jeremy Borash entrevista os LAX. Konnan diz que em breve toda a América irá falar espanhol e que hoje o hino mexicano irá tocar na iMPACT! Zone.

"Flag Match" de equipas [2-2] LAX (Homicide e Hernandez) c/Konnan vs. AMW (Chris Harris e James Storm (c/Gail Kim)
Este combate consiste em capturar a bandeira do país da equipa, que está no canto da equipa adversária e depois pendurá-la no topo da escada. Este combate foi superior aos encontros anteriores entre as duas equipas, embora mesmo assim seja evidente que não há boa química entre elas. Boa acção e bons spots, como um Border Toss de Hernandez contra a escada e um sunset flip powerbomb de James Storm da escada. Bastante interferência de Konnan, Petey Williams (que também aparece junto ao ringue) e Gail Kim, que chega mesmo a fazer um moonsault para fora do ringue. O final do combate chega quando tanto Chris Harris como Homicide sobem a escada e estão a pendurar as respectivas bandeiras, mas Storm atinge Homicide com uma garrafa. Acontece é que o vidro entra para os olhos de Harris e este cai da escada. Hernandez aproveita então para subir a escada, arrancar a bandeira americana e prender a mexicana, dando a vitória à sua equipa.
Vencedores: LAX

Ouve-se então o hino mexicano, com os LAX com a mão no peito, orgulhosos. Surpreendentemente, o público respeita o hino. Mike Tenay e Don West também foram fantásticos, dizendo que embora não respeitem os LAX, respeitam o México e as suas pessoas, pondo-se de pé para o hino. Muita classe demonstrada aqui, algo que duvido seriamente que a WWE fizesse.

Segue-se o segmento dos VKM. Enfim... BG está no ringue, imitando Triple H e Kip a imitar HBK. Entram então umas imitações dos Spirit Squad no ringue, que começam a cair quando os VKM fazem crotch chops. Surge então um gordo a imitar o Big Dick Johnson, que aplica um superkick num dos Spirit Squad falsos. Depois disto, ambos tiram os disfarces e ficam sérios, com BG James a fazer uma promo em que referencia as várias cartas com processo legais que têm recebido da WWE desde que começaram a fazer estas paródias. BG diz ainda que apenas está a fazer o mesmo que Vince lhes pagou para fazer à WCW quando estavam ainda na WWE. Finalmente, desafia Vince a aceitar um "Desafio de Um Milhão de Dólares" para que que haja um combate a sério, uma luta, entre eles e os DX, dizenddo que se não o fizer, prova a todos o "pedaço de merda" (desculpem a linguagem) que é. Sim, sim, o Vince vai mesmo aceitar isto, tudo bem que o homem está cada vez mais maluco, mas não tanto. Parvoíce, mas pelo menos BG acreditava realmente no que disse e fez uma entrega super apaixonada (dizendo inlusive vários palavrões, algo que não era suposto, mas pelos vistos BG exaltou-se e improvisou muito do que acabou por dizer).

Combate a três pelo título de Pesos-Pesados da NWA Abyss (c) vs. Sting vs. Christian Cage

Provavelmente o pior combate da noite, embora não tenha sido mau. Incomparavelmente melhor ao miserável Abyss vs Sting do PPV anterior, mas dizer isso não é nada. Mesmo assim, muita coisa falhada na execução do combate e overbooking à grande, com interferências várias de Tomko e James Mitchell e ref bumps. O final do combate veio quando Christian se preparava para o Unprettier em Sting, mas Abyss impediu e aplicou o Black Hole Slam em Sting para manter o título.
Vencedor: Abyss

Apesar do overbooking, foi bom ver Abyss manter o título com um pin limpo sobre Sting. O ponto positivo é que esta storyline tem sido interessante e este combate, mais que tudo o resto, serviu para desenvolvê-la.

Finalmente, antes do main event, Borash entrevista Angle, que diz que no PPV passado acabou com a invencibilidade de Joe e que agora vai acabar com todas as dúvidas que ainda possam haver sobre quem é o melhor wrestler do mundo. Boa promo!

Combate de singulares Kurt Angle vs. Samoa Joe

Grande combate! Desta feita durou um pouco mais de 20 minutos, tendo assim mais tempo para criar maior emoção. No início do combate, Angle domina com mat wrestling, até que Joe se consegue libertar e faz uso da sua força, passando a dominar Angle com vários murros, pontapés e chops. Angle depois retoma o mat wrestling, mas desta feita com Joe a conseguir vários reversals. Começe então uma longa sequência de finishers e contra-finishers, com Angle a dominar a maior parte do tempo, mas Joe sempre a arranjar forma de escapar e contra-atacar. Até o Ankle Lock em que Angle se deita no chão para prender melhor o adversário não consegue fazer Joe desistir, o que leva Angle a desesperar. É então que se dá um ref bump, com Angle intencionalmente atingir o árbitro. Joe consegue aplicar então o Choke e Angle desiste!!! Só que o árbitro ainda está estendido e quando Joe vai tentar reanimá-lo, Angle aproveita-se disso para lhe aplicar um low blow. Angle vai então buscar uma cadeira e prepara-se para atingir Joe, só que este desvia-se e o feitiço vira-se contra o feiticeiro, com a cadeira a ressaltar nas cordas e a atingi-lo. Joe então, com todas as forças que lhe restam, puxa Angle e consegue aplicar-lhe mais um Choke. Angle ainda resiste e tenta alcançar o calcanhar de Joe, mas este bloqueia e deixa o medalhista olímpic sem qualquer outra hipótese a não ser desistir, desta feita com o árbitro já consciente.
Vencedor: Samoa Joe

Óptima história neste combate, com verdadeira intensidade e emoção. Foi sem dúvida um combate mais à Angle do que à Joe, a fazer lembrar o combate no Rumble de 2003 contra Chris Benoit. Há várias maneiras de se ter grandes combates, esta foi a que foi decidida e cumpriu sem dúvida o seu objectivo. Claro que vai haver gente que acha que é overrated, mas isso há sempre porque gostos são gostos, mas foi um óptimo combate, solidamente na região das quatro estrelas. Angle parece ter virado heel, mas vejamos o que realmente acontece, porque no contexto de todo o buil-up para este rematch e no desenvolvimento do próprio combate, fez todo o sentido Angle ter reagido como reagiu. Lembrem-se que Angle disse que lutar contra Joe foi das coisas mais difíceis que fez que quando ganhou da primeira vez sentiu alívio e não alegria. Assim, desta feita, Angle queria afastar de vez qualquer dúvida, para poder descansar, só que desta feita tudo o que tentou e lhe deu a vitória, desta vez não funcionou, com Joe a demonstrar uma tremenda força de vontade e "fighting spirit", o que o levou a deseperar e tentar acabar o combate de qualquer meio. Sem dúvida que o ref bump desagradou ao público, que temeu um finish com batota e vitória de Angle, mas foi algo que no contexto fez todo o sentido. Bom desenvolvimento de história e boa psicologia! Joe sai fortalecido deste combate e pronto para ir atrás do título da NWA, que é sem a mínima dúvida o que tem de acontecer! Um rematch deve ser guardado lá mais para o ano e terá de ser pelo título. Precisamente a encerrar o PPV tivemos um vídeo sobre o Samoa Joe e a promover o Final Resolution, o que me deixa esperançado que efectivamente será desta que Joe começará a sua caminhada até ao topo.

tags:

suck it by: WWE-Xtreme às 10:38
link do post | comentar | favorito

   Sobre a WWE 
SmackDown!
RAW
ECW
TNA
PPVS
   Sobre o Blog   
SD vs. RAW 2007
Gifs
Produtos WWE
Cartazes musicais
Vídeos
Apostas
Humor
Uma nova zona vem ai...
   Forum Xtreme  

Wrestling Impact o teu site de wrestling!